IEEE Women in Engineering

UNICAMP

IEEE
August 27th, 2014

No último dia 13 de Agosto, aconteceu durante a SECOMP Unicamp 2014  o debate Mulheres na Engenharia. Em sua mesa de discussão estiveram presentes: Prof. Siome Klein Goldenstein (Diretor Associado do IC/UNICAMP), Christiane Andrade (DELL), Profa. Juliana Freitag Borin (IC/UNICAMP) e a chair do WIE-UNICAMP e doutoranda da FEEC/UNICAMP, Clarissa Loureiro.

À partir da esquerda, Profa. Juliana, Prof. Siome, Christiane e Clarissa.

À partir da esquerda, Profa. Juliana Borin, Prof. Siome Goldenstein, Christiane Andrade e Clarissa Loureiro.

O debate foi moderado por Paula Costa (FEEC/UNICAMP) que iniciou o dia apresentando dados e estatísticas sobre a participação feminina nas carreiras STEM (Science, Technology, Engineering and Mathematics), no Brasil e no Mundo.

Três perguntas principais foram colocadas aos participantes:

  • como atrair mais garotas para as carreiras de ciências e engenharia?
  • como manter motivadas e reter as alunas de graduação destas carreiras?
  • como reter e promover o desenvolvimento das profissionais nas carreiras STEM.

Ao final do debate foi realizado um resumo das ações sugeridas pelos presentes. CONFIRA!!!

Atração de Mulheres para as Carreiras STEM

  • Atenção à polarização da sociedade nas questões de gênero que se manifesta, por exemplo, na diferenciação desde  tenra infância de brinquedos “para meninas” e brinquedos “para meninos”, na linguagem e nos comportamentos que são considerados adequados ou não “para meninas”.
  • Atuar no ensino fundamental e médio por meio de ações que promovam o contato precoce com as áreas tecnológicas, esclarecendo o papel e os aspectos positivos dessas carreiras.
  • Promover ações com familiares para que eles incentivem e apoiem suas filhas no momento da escolha profissional por uma carreira da área de tecnologia.
  • Dar visibilidade a mulheres que seguem essas carreiras.

Retenção das Mulheres nos cursos de Engenharia e Exatas

  • Envolver mulheres na criação dos currículos acadêmicos.
  • Promover atividades com menor foco na competição e maior foco na colaboração.
  • Garantir que as oportunidades acadêmicas sejam igualmente acessíveis para homens e mulheres.
  • Investir em programa de mentoria institucional e prover ambiente que favoreça mentorias informais e o networking com profissionais já formadas.
  • Sensibilizar professores e lideranças masculinas sobre a importância do exemplo.
  • Trabalhar a aceitação da diversidade.
  • Incentivar interação entre alunas e profissionas como a que acontece, por exemplo, durante a conferência Grace Hopper.

Retenção das Mulheres nas Carreiras de Tecnologia

  • Promover o apoio entre colegas “mulheres”.
  • Dar visibilidade às mulheres bem sucedidas em suas carreiras e engajá-las no desenvolvimento de suas colegas.
  • Tornar claras as perspectivas de sucesso através de profissionais-modelo.
  • Promover a visibilidade sobre como a carreira impacta e ajuda a vida das pessoas.
  • “As mulheres podem tudo, mas não tudo ao mesmo tempo.”

June 5th, 2014

A reportagem da Revista Pesquisa FAPESP  “Matéria Desvendada” (Abril, 2014), começa com uma história bastante conhecida na ciência:

“A dupla hélice como representação do DNA é uma das imagens mais conhecidas produzidas pela ciência do século XX. A descoberta da estrutura da molécula ocorreu em 1953 em boa parte graças ao trabalho da biofísica Rosalind Franklin, que usou a técnica de difração de raios X para obter a imagem. A história é conhecida: Francis Crick e James Watson usaram os dados de Rosalind – sem o conhecimento e aprovação dela – e escreveram o artigo pioneiro em 1953, publicado na revista Nature. A “foto” do DNA feita pela pesquisadora inglesa é uma das vedetes da cristalografia, cujos métodos experimentais e teóricos começaram a ser desenvolvidos em 1895 com a descoberta dos raios X pelo alemão Wilhelm Röntgen. A Unesco reconheceu a importância desta ciência básica e instituiu 2014 como o Ano Internacional da Cristalografia.”

E ninguém melhor para falar sobre essa história e o Ano Internacional da Cristalografia, do que a Profa. Dra. Iris Torriani, do IFGW da Unicamp. De origem argentina, a Profa. Dra. Iris Torriani chegou à Unicamp em 1975 e formou um grupo voltado ao estudo dos defeitos cristalinos. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Física da Matéria Condensada, atuando com cristalografia de materiais orgânicos e inorgânicos; difração e espalhamento de raios X na área de materiais nanoestruturados e biomateriais; instrumentação para radiação de síncrotron;  estudo estrutural de macromoléculas, polímeros  e sistemas biológicos. Foi responsável pela construção e coordenação de duas linhas de luz do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS). Possui mais de 132 trabalhos publicados em periódicos com seletiva política editorial e é Bolsista de Produtividade em pesquisa do CNPq – Nível IB.

DATA: 10/03/2014, Terça-Feira

HORÁRIO: 12:30h

LOCAL: Sala da Congregação, FEEC (Piso Térreo)

 

2014_06_Divulgação_Iris_Torriani

 

 


May 25th, 2014

Semana passada o grupo IEEE WIE Unicamp ganhou o prêmio anual do IEEE de melhor grupo de afinidade WIE do mundo!

Esta notícia foi recebida com muita alegria e é, sem dúvidas, um prêmio conquistado com muito esforço, dedicação e carinho aos projetos e atividades desenvolvidos desde 2010, quando o grupo foi fundado.

O IEEE Women in Engineering é a maior organização profissional do mundo dedicada a promover mulheres engenheiras e cientistas e inspirar garotas ao redor do mundo a dirigirem seus interesses acadêmicos para uma carreira em engenharia. Em 2014, a organização comemora 20 anos!!!

Para se entender a importância deste prêmio, existem atualmente, 355 grupos WIE espalhados pelo mundo divididos entre as 10 regiões geográficas do IEEE.

Os critérios de seleção para o prêmio foram:

  • Qualidade das atividades e programas patrocinados e co-patrocinados pelo grupo;
  • Quantidade de atividades e programas;
  • Número de participantes em reuniões regulares e outras atividades e programas;
  • Demonstrações de programas de extensão para jovens mulheres;
  • Número de pessoas atingidas com os programas;
  • Comunicação com seus membros;
  • Crescimento do número de membros obtido pelo grupo;
  • Website do grupo.

Dentre as atividades de destaque que o IEEE WIE Unicamp promove destacam-se:

Carregamos a convicção que podemos ainda muito mais e que trabalhar para que mais mulheres e jovens sejam bem sucedidos e se sintam atraídos pelas carreiras de ciências, tecnologia e engenharia é trabalhar por um Brasil melhor!

A força do IEEE e do IEEE WIE Unicamp está nos seus voluntários: esta comunidade vibrante, de profissionais das mais diversas áreas que diariamente trabalham para avançar a tecnologia em benefício da humanidade.

Seja você também um membro IEEE e torne-se um voluntário ou uma voluntária IEEE WIE Unicamp!

menininha_certificado


May 13th, 2014

A Associação de Pós-graduandos da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Unicamp (APOGEEU), promove neste próximo sábado (17 de maio) o I Hackday de Dados Abertos.

“O Hack Day é uma oportunidade para mentes criativas analisarem dados
governamentais, a fim de descobrir informações enterrados que podem
ser úteis para a população geral.

No Dados Abertos Hack Day, cada participante (ou grupo) terá acesso a
uma vasta quantidade de dados públicos sobre as atividades dos
deputados federais (projetos de leis, discursos, gasto de cota
parlamentar, doadores de campanha) e tempo para elaborar projetos de
análise de dados, buscando extrair conhecimento desse monte de dados(…).”

Evento no facebook:
https://www.facebook.com/events/1429060850677987/

Ideias podem ser discutidas e equipes formadas em:
http://piratepad.net/GQnnWFJAV7

Para saber mais sobre a base de dados:
https://docs.google.com/document/d/1WJmwBvlJFzqVNuiMT0OIdlnuuNY73KSDyIdGlAltUY4


May 12th, 2014

O IEEE WIE Unicamp e suas simpatizantes têm várias mães apaixonadas pelos seus filhos e seu trabalho.

Compartilhamos este vídeo para realizar a nossa homenagem a todas as mães engenheiras e cientistas e a todas as mães de engenheiras e cientistas que um dia as encorajaram a seguir este caminho.

Aprenda a como desenvolver:

  • Capacidade de assumir riscos
  • Capacidade de esforço e sacrifício
  • Comunicação e oratória
  • Gestão de recursos
  • Capacidade de motivação
  • Organização e planejamento
  • Perseverança e constância
  • Trabalho em equipe e liderança

Ser Madre Es un Plus
 


May 11th, 2014

O VII Encontro de Alunos do Departamento de Engenharia de Computação e Automação Industrial (EADCA) da FEEC/Unicamp contou com uma sessão especial apoiada pelo IEEE WIE Unicamp e pela Intel Software do Brasil.

Numa sessão de posters  descontraída as “mulheres do DCA” puderam confraternizaram e apresentaram seus trabalhos aos presentes.

A sessão foi carinhosamente organizada pelo Prof. Eduardo Valle (http://eduardovalle.com/).

Sessão WIE EADCA 2014

 

 

 

 


May 6th, 2014

Uma revisão de 308 estudos realizados entre 1914 e 2011, envolvendo mais de 1.1 milhões de meninos e garotas derruba o mito que elas tiram piores notas em matemática e ciências. De acordo com os dados, que incluem estudantes de 30 países, por 100 anos as garotas vem se saindo melhor nas notas de todas as matérias tais como leitura, língua E MATEMÁTICA E CIÊNCIAS.  E elas fazem isso de maneira consistente, da escola elementar ao segundo grau.

Nós já sabíamos, e você, tinha dúvidas?

http://time.com/81355/girls-beat-boys-in-every-subject-and-they-have-for-a-century/


May 1st, 2014

O projeto Android Smart Girls, uma das iniciativas STAR do IEEE WIE Unicamp, é destaque no Jornal da Unicamp.

ju595_p8_a_700


May 1st, 2014

Vanessa Testoni, uma das fundadoras do IEEE WIE Unicamp aparece na lista dos 10 jovens brasileiros mais inovadores da revista Technology Review, vinculada ao MIT.

Vanessa Testoni (1)

 

 

 


May 1st, 2014
Sábado, 12 de abril de 2014 aconteceu no Instituto de Computação da UNICAMP o I Girls Hackday de Apps Android. 

O evento foi organizado pelo IEEE WIE Unicamp e patrocinado pela Intel Software Brasil. 

Foram 8 horas de muita colaboração, criatividade e inovação! 35 meninas de graduação e 
pós-graduação de diversas universidades da região de Campinas se reuniram para criar aplicativos 
para smartphones e tablets Android. Projetos individuais e em equipe foram criados e desenvolvidos em 
um ambiente com muita troca de idéias e experiências. As meninas contaram com o valioso apoio de voluntários
da UNICAMP e de empresas de desenvolvimento de software com experiência em desenvolvimento para Android. 

A gama de aplicativos criados foi bem variada – jogos, como o jogo da forca e uma versão do famoso Genius, 
um aplicativo para apoiar corredores em seus treinos e outro para apoiar turistas no Brasil com informações 
sobre pontos turísticos são alguns exemplos dos projetos desenvolvidos. 

No final do dia, o sentimento de “quero mais” foi unânime! 

Portanto, fiquem ligadas, porque os próximos Girls Hackdays já estão sendo planejados!
1° Girls Hackday de Apps Android